gallery/logo_esqueleto_caiaque_sem_fundo_sem_letra

A Origem do Caiaque

O caiaque nasceu na Groenlândia e existe desde tempos imemoriais, servindo de meio de pesca e trabalho aos esquimós. Caiaque significa na língua local “Barco de Caçador”, e seu uso era permitido exclusivamente aos homens, que empregavam ossos de baleia, peles e tripas de focas para a construção dessa curiosa embarcação.

Os ossos flexíveis de baleia formavam a estrutura do engenho e nas costuras da pele tida como revestimento usavam-se as tripas de foca.

A impermeabilização era obtida pela imersão do caiaque nas águas do mar, ocasionando o seu encharcamento e consequentemente uma vedação mecânica tornando assim imune à penetração da água. Quando o caiaque se secava e, para voltar a ser impermeável, o recurso era muito simples: bastava imergi-lo novamente na água do mar; por isso diz-se que o fundo do mar foi a primeira “garagem” conhecida, utilizada para guardar os caiaques.

O material usado no início pelos esquimós eram as peles de animais, porém, hoje em dia são utilizados madeira, fibra de vidro, fibra de carbono ou plástico. Os caiaques de plástico são ideais para regatas ou "White water", pois têm grande resistência a impactos em pedras. O plástico utilizado normalmente é o polietilieno de média densidade e são fabricados pelo processo da rotomoldagem.

Atualmente, o caiaque é uma embarcação desportiva, utilizada para lazer e competições. Este desporto compreende várias modalidades como velocidade, slalom, adaptada, descida, maratona, oceânica, onda, pólo, rafting, pesca e rodeio.

Não é necessário qualquer tipo de habilitação junto à Marinha para se navegar com caiaque.